Tratamento para vaginismo com fisioterapia

Vaginismo

Impossibilidade de penetração vaginal, seja ela por um objeto, absorvente interno ou pênis, causado por espasmos musculares involuntários. Acredita-se que cinco em cada cem mulheres sofrem algum grau de vaginismo. Ele é caracterizado quando a mulher nunca conseguiu ter uma penetração sem dor.

  • Vaginismo primário: quando a mulher nunca conseguiu ter uma relação sexual com penetração.
  • Vaginismo secundário: a mulher conseguia manter relação sexual normalmente (ou com dor) e adquiriu o vaginismo por algum motivo específico.

O vaginismo está diretamente associado com a somatização, ou seja, algum trauma psicológico de dor na região vaginal que tenha ocorrido ao longo da vida.

Como o nosso cérebro tem memória de dor, toda a vez que revivemos uma situação de dor, nossos músculos locais automaticamente se contraem (sofrem espasmos), tentando evitar que o episódio doloroso ocorra novamente. Na região vaginal não ocorre diferente. A mulher que sofre de vaginismo, já tem um ciclo de padrão de ativação muscular inverso, pois toda a vez que ela tentar penetração (que em algum momento da vida foi doloroso), seu cérebro lembrará da dor e fará a contração dos músculos do assoalho pélvico, impedindo a entrada do pênis no canal vaginal.

 Causas psicológicas

Tratamento para Vaginismo

A noticia ruim é que não existem medicamentos, pois a situação está inteiramente ligada com o físico e a mente. A solução é associar tratamento multidisciplinar com atuação da fisioterapia e da psicologia.

Psicologia: Será responsável por tratar a causa do distúrbio, apagando aos poucos a memória de dor. Trabalhará as características psíquicas da paciente, atuando na ansiedade.

Fisioterapia pélvica: Esta patologia, mesmo tendo causa psicossomática, acaba por afetar o físico, necessitando de tratamento especializado feito com base no relaxamento e controle da musculatura pélvica. São realizadas diversas técnicas manuais, com acessórios e aparelhos afim de:

  • “soltar” o quadril/pernas/glúteos/virilha e parte interna do canal vaginal
  • melhorar a mobilidade da pelve
  • ensinar a paciente a relaxar a musculatura vaginal no momento da penetração
  • diminuir a dor da região
  • aumentar a força dos músculos do períneo (geralmente eles são tensos e fracos pois ativam diversas vezes durante o dia)
  • orientar em relação a atitudes e posições que facilitam a penetração

Não sinta-se apreensiva e com medo pois existe tratamento para vaginismo.

Posso garantir que a fisioterapia pélvica e a psicologia, em conjunto, conseguem solucionar o problema.

Agora lembre-se, o tratamento deve ser feito com Fisioterapeuta Especializado em Fisioterapia Pélvica.

Nem todos os profissionais tem formação, conhecimento e materiais adequados para atender este tipo de paciente.

Caso tenha dúvidas em relação ao assunto, entre em contato para esclarecê-las. Todas as suas informações são sigilosas!

jordanadossin@gmail.com

(54) 32172609 / 984348753

www.facebook.com/jordossinfisiopelvica

@jordossinfisiopelvica