7 perguntas frequentes sobre amamentação

Tempo de leitura: 6 minutos

Fiz essa matéria baseada nas dúvidas que todas as mães de primeira viagem têm em relação à amamentação e também para que profissionais da saúde em formação possam se embasar nestas informações para orientar seus futuros pacientes!

A amamentação é muito mais do que a nutrição do seu bebê, é um processo que envolve aspectos emocionais e constante interação entre a mãe e a criança! Estudos recentes mostram que a troca de olhares entre a mãe e o filho durante a amamentação provoca reflexos que estimulam a produção de ocitocina, ajudando o leite a descer. Os pensamentos e sensações da mãe durante a mamada também podem afetar na liberação do leite.

Tipos de Aleitamento Materno:

  • Aleitamento materno exclusivo: quando a criança é nutrida somente com o leite materno, seja ele direto da mama ou através de ordenha.
  • Aleitamento materno predominante: quando a criança recebe bastante leite materno, porém recebe também água ou outras bebidas que tenham a água como base.
  • Aleitamento materno: quando a criança ingere qualquer alimento ou não, mas recebe leite materno.
  • Aleitamento materno complementado: quando a criança recebe, além do leite, alimentos sólidos como complemento, e não como substituição.
  • Aleitamento materno misto: quando a criança recebe o leite materno e outros tipos de leite.

1) Por que devo amamentar?

  • Evita mortes infantis
  • Evita diarreia
  • Evita infecção respiratória
  • Diminui o risco de alergias
  • Diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes
  • Reduz as chances de obesidade
  • Melhora a nutrição da criança
  • Possui efeitos positivos em relação à inteligência da criança
  • Melhora o desenvolvimento da cavidade bucal
  • Ajuda a proteger a mãe contra o câncer de mama
  • Evita nova gravidez neste período
  • Promove vínculo afetivo entre mãe e filho

2) Até quando devo amamentar?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam aleitamento materno exclusivo por seis meses e aleitamento materno complementado até os dois anos ou mais. A introdução de qualquer alimento antes dos seis meses do bebê pode acarretar em maior número de diarreias na criança, maior número de internações hospitalares por doenças respiratórias e risco de desnutrição.

3) Como devo preparar-me para amamentar?

  • Utilizar sutiãs de alças firmes e largas
  • Tomar banho de sol por 10 a 15 min todos os dias (sol diretamente nas mamas pela manhã até as 10:00 ou de tarde após as 16:00)
  • Não usar sabão, cremes ou pomadas na aréola
  • Massagear o seio
  1. Colocar cada mão de um lado do seio, segurá-lo com as almas e puxar os dedos realizando pressão leve. Repetir o movimento 5 vezes. E trocar o sentido do movimento, fazendo verticalmente.
  2. Colocar os polegares sobre a aréola e puxá-la levemente para os lados, para cima e para baixo. Após, puxar o mamilo realizando movimentos giratórios, para que o mesmo fortaleça.
  • Se seu mamilo for plano ou invertido, faça um toque para que o mamilo seja estimulado, coloque compressas frias ou realize sucção com uma seringa sem agulha (de 10ml)

4) Meu bebê está mamando corretamente?

Existem algumas técnicas essenciais para que o bebê aprenda a retirar o leite do peito de forma eficiente:

  • Deve abrir bem a boca
  • Abocanhar o mamilo e também a aréola para formar vácuo
  • O rosto do bebê deve ficar de frente para a mama
  • O nariz do bebê deve ficar na altura do mamilo
  • O corpo do bebê precisa ficar próximo ao da mãe
  • O bebê deve ficar com a cabeça e tronco alinhados
  • O queixo do bebê precisa tocar a mama

Para saber se seu filho está conseguindo mamar adequadamente verifique os seguintes sinais:

  • Se as bochechas do bebê encovadas a cada sucção
  • Se ele emite ruídos com a língua
  • Se a mama está esticada ou deformada durante a amamentação
  • Se os mamilos ficam com estrias avermelhadas ou áreas brancas quando o bebê solta a mama
  • Se você sente dor na amamentação

5) Como sei se o meu leite está empedrado?

O ingurgitamento mamário é mais comum em mulheres que estão amamentando pela primeira vez e ocorre por congestão da mama, retenção dos leites nos alvéolos e edema decorrente da congestão e obstrução da drenagem linfática. Coo consequência ocorre dificuldade da saída do leite dos alvéolos.

Deve-se realizar ordenha manual ou com bomba de sucção, mamas mais frequentes, massagem das mamas em movimentos circulares, compressas frias aplicadas de duas em duas horas por no máximo 20 minutos(lembrando que o gelo não deve ser colocado diretamente sobre a pele, para evitar queimaduras), utilizar suporte para as mamas com uso de sutiã firme para aliviar a dor e manter os ductos em posição correta

6) E se meus mamilos estiverem machucados?

Geralmente os mamilos racham quando o bebê não está mamando corretamente.

Deve-se proceder da seguinte maneira:

  • Cuidar para que os mamilos estejam sempre secos
  • Não utilizar sabão/creme/álcool pois ele necessita de proteção natural, utilizar protetores mamilares caso for necessário
  • Iniciar a mamada pela mama menos afetada
  • Ordenhar um pouco de leite antes da amamentação, assim estimula o reflexo de ejeção do leite, evitando que a criança precise de força para sugar
  • Utilizar diferentes posições para amamentar
  • Usar conchas protetoras e/ou analgésicos (converse com o médico que está acompanhando seu caso)
  • Fazer banho de luz e utilizar secador de cabelo sobre as mamas
  • Passar o próprio leite materno ordenhado sobre as fissuras mamilares

7) Como sei que acabou a mamada?

Verifique se seu bebê solta o peito. Se precisar interromper o processo, coloque o dedo mindinho no anto da boca do bebê para ele soltar o peito.

Mitos sobre a amamentação:

Amamentação

  • Amamentar fará meus seios caírem
  • O bebê chora de fome porque meu leite é fraco
  • O bebê chora porque o meu leite não é o suficiente
  • Mãe que trabalha fora não deve amamentar
  • Criança prematura não pode mamar

Gostou do artigo? Compartilhe para que outras mamães estejam preparadas para suas primeiras experiências com a amamentação.

Clique aqui caso queira ler outros artigos meus.

2 Comentários

    1. Jordana Dossin

      Tomara que a matéria tenha ajudado Elisa! Realmente, ser mãe não é nada fácil, mas com certeza é gratificante!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *